Não podemos negligenciar o Universo dos Cães em troca de likes.

Atualizado: Jul 1

O Facebook nos lembrou do Carnaval do Bangalô em 2017 pensando nessas fotos refletimos: Quantos likes gera uma festa de cachorro? E quantos likes geram cães sendo cães sem grandes espetáculos?  Essa lembrança nos fez refletir sobre a responsabilidade que é proporcionar atividades aos cães e o que podemos e devemos fazer  pelo relacionamento deles com os tutores, além de satisfazer um desejo humano superficial. O que esperamos dos nossos cães? Pq gostamos tanto de colocá-los em situações humanas muito mais do que gostamos de entender e proporcionar um mundo canino a eles? Não tenho as respostas. Acho que precisamos todos refletir.


Lá no começo do Bangalô, nós vivemos a ânsia de querer mostrar o que as pessoas queriam ver. De lá pra cá, percebemos um abismo entre quem de fato são os cães e como as pessoas os veem.  Refletimos. Estudamos. Trabalhamos.  Entendemos que não poderíamos ficar no raso do que as pessoas acham bonito de ver. Seria mais fácil? Talvez. Mais rentável? Talvez. Renderia mais fotos e likes? Talvez. Mas traçamos um propósito: Cooperar e conscientizar a sociedade para uma mudança de cultura na área canina. Se trabalhamos pelo bem estar da espécie, então não podemos negligenciar um Universo por trás de cada cachorro em troca de likes. As redes sociais já estão lotadas de um mundo nada real confundindo as pessoas em todos os âmbitos.


Veja bem,  esse post não é sobre ser certo ou errado fazer festa de carnaval para cachorro, porque não acredito que exista o certo e o errado. Nós fizemos muitas festas e até viralizamos na internet, e o ponto é justamente esse: O que estamos construindo no mundo real fora da Internet? O ponto, é que nessa lacuna gigante entre comunicação, linguagem e informação interespécies, quantas famílias estão enfrentando problemas em casa por simplesmente não conhecerem sobre seus cães?  Quantos acidentes em parque, brigas e mordidas poderiam ter sido evitados se soubéssemos reconhecer os sinais de comunicação que eles tentaram nos passar?  E ainda, quantos cães não atenderam as expectativas dos humanos dentro de casa e foram simplesmente abandonados?  É uma reflexão sobre um sentimento que fica nessa linha tênue entre agradar humanos e realmente construir um mundo melhor para os cães e tutores. O quanto ainda temos que caminhar entre a expectativa que colocamos nos nossos cachorros para fazerem as nossas vidas mais felizes e quanto dessa expectativa colocamos em nós para sermos os melhores humanos que esses cães podem ter. 


É sobre o que mais além de uma foto bonita do cachorro esse tutor precisa, é sobre cuidar pra não confundir cães com crianças não reconhecendo as particularidades de cada espécie, é sobre entender o que de construtivo eu estou fazendo para um mundo REAL. Não é sobre festa de Carnaval. É sobre SÓ fazer festa com cachorro para humanos.  É sobre o longo caminho que temos que percorrer ainda para chegarmos a uma sociedade que respeita a natureza como ela é e não como os Homens querem. É sobre equilibrar a balança entre o que os cães representam pra gente e o esforço que fazemos para compreender o mundo deles. Acho que isso tem a ver com amor real, aquele que busca compreender o outro sem esperar nada em troca. Existe um Universo por traz de cada cachorro que faz com que um ambiente com um monte deles tenha uma série de particularidades para serem levadas em conta. Não podemos negligenciar isso em troca de likes. #thinkaboutit



0 visualização

Bangalô Dog Hostel ​© 2017 |

Escola - Hotel - Consulta Comportamental - Treinamento

(11) 9 7337-2725 | (11) 9 7222-3635

bangalodoghostel@gmail.com

Av Manuel Augusto de Alvarenga, 67 - São Paulo/SP

  • YouTube - Círculo Branco
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon